19 jul 2022

O sistema EUI é um dos principais sistemas de injeção eletrônica utilizado em máquinas pesadas. Descubra como funciona e quais são suas principais características.

O sistema EUI é praticamente sinônimo da unidade injetora EUI. Afinal, em conjunto com o ECM, ela exerce boa parte das funções da injeção.

Unidade injetora EUI
Engenheiro Matheus Souza

Olá, eu sou o engenheiro Matheus Souza, diretor da Girotti Componentes e Sistemas de Injeção Diesel. Há mais de 25 anos trabalho com injeção eletrônica de máquinas pesadas. Neste artigo, falo um pouco sobre o sistema EUI. Confira!

O sistema EUI equipa diversas máquinas como: escavadeiras, carregadeiras, motoniveladoras, scrapers, caminhões fora-de-estrada, compactadores etc. Nesse sentido, equipa motores a diesel como por exemplo o C11, C13, C15, C18 e C27.

A Delphi desenvolveu o EUI (Eletronic Unit Injector) em 1990. Com ele, buscava ter um sistema de injeção eletrônica mais eficiente para motores a diesel de grande porte. Desse modo, é o sistema mais antigo se comparado ao HEUI ou Common Rail.

Assim como o HEUI, o EUI funciona a partir das unidades injetoras. Como o próprio nome já diz, elas atuam em unidade. Ou seja, funcionam individualmente. No entanto, ao contrário do HEUI, a unidade injetora EUI não precisa de uma “bomba de alta pressão ou de atuação” a parte para ativar a injeção. O EUI integra a função da bomba na própria unidade injetora. Daí sua importância.

De fato, no sistema EUI não é necessário nenhum outro tipo de bomba para ativar a injeção. Nele, existe apenas a bomba de transferência de combustível, que tem como função sugar o diesel do tanque e levá-lo até as unidades.

UNIDADE INJETORA EUI

Sem dúvida, a principal característica do sistema EUI é a forma como a unidade injetora trabalha. Afinal, ela é a responsável pela ativação da injeção. Em outros sistemas, como o HEUI e o Common Rail, essa função cabe a bomba. Leia mais sobre a unidade injetora EUI.

COMO FUNCIONA O SISTEMA EUI

As unidades ficam instaladas direto no cabeçote do motor e realizam a injeção de combustível diretamente em cada cilindro.

O combustível está sempre circulando dentro do EUI, pois além da injeção para combustão, tem como função a lubrificação e o resfriamento da unidade injetora.

No EUI a ativação da injeção acontece através de uma válvula eletromagnética que é controlada pelo ECM. Portanto, o controle da pressão de injeção é feito eletromagneticamente.

O controle da unidade é feito por uma válvula de derramamento. Essa válvula é operada pelo solenoide. Normalmente, ela fica aberta, permitindo que o combustível retorne à linha de abastecimento quando o pistão da bomba desce. Quando o solenoide é energizado, essa válvula de derramamento fecha. Assim, o combustível é forçado para dentro do cilindro através do bico de pulverização.

Conforme falei, a unidade EUI possui uma bomba embutida na unidade. Essa “bomba” permite a entrega de combustível de baixa pressão e o retorno a todos os injetores. Da mesma forma, ela fornece uma alta pressão de injeção e atomização concomitantes do combustível para um cilindro durante os ciclos de potência do motor.

Por fim, vale destacar que a unidade injetora é conectada a bancos comuns de suprimento e retorno de combustível. As conexões nos EUIs são feitas por mangueiras reforçadas com aço inoxidável.

As quatro fases da operação EUI são:

Fase de preenchimento

Conforme o êmbolo da bomba se retrai, o combustível é puxado para a câmara da bomba a partir da linha de alimentação de combustível.

Fase de derramamento

O êmbolo da “bomba” começa a descer, mas a válvula de derramamento está aberta e o combustível recircula de volta para a linha de retorno.

Fase de injeção

No meio do curso da bomba, o solenóide é energizado, o que fecha a válvula de derramamento. O combustível é forçado para dentro do cilindro pelo bico de pulverização.

Fase de redução de pressão

Perto do final do curso da “bomba”, a válvula de derramamento é reaberta, permitindo que o combustível recircule novamente. Assim, encerra a fase de injeção.

PERGUNTAS FREQUENTES

  1. Qual a diferença do sistema EUI para o Common Rail?

    Em relação ao sistema Common Rail, a principal diferença é que no EUI cada unidade é praticamente um sistema de injeção avulso. Ou seja, existe uma unidade injetora (trabalhando individualmente) para cada cilindro. Essa unidade realiza todo o trabalho, seguindo as ordens do módulo de controle eletrônico (ECM). Enquanto isso, no EUI a função da bomba de alta pressão é exercida pela própria unidade.

  2. Qual a diferença do sistema EUI para o EUI?

    Já em relação ao HEUI, a diferença está justamente nas unidades. Conforme mencionei, elas integram uma bomba de alta pressão e um injetor numa só unidade. Enquanto isso, o HEUI precisa uma bomba de atuação. No caso do HEUI, essa bomba pressuriza o óleo utilizado na ativação da injeção.
    Em suma, a injeção no HEUI é ativada de forma hidráulica, enquanto no EUI, ela é ativada através da válvula eletromagnética.

  3. Quais os componentes do sistema EUI

    Os principais componentes do sistema EUI são: unidade injetora e ECM. Além disso, os sensores exercem papel fundamental no sistema.

  4. Como o sistema EUI funciona?

    Em resumo, o ECM recebe os dados dos sensores e envia para o solenoide da unidade injetora. A unidade injetora recebe pulsos eletromagnéticos que controlam a pressão e o momento ideal de injetar o combustível.

UNIDADE INJETORA EUI É NA GIROTTI

A GIROTTI comercializa e repara unidades injetoras EUI para máquinas equipadas com os motores C11, C13, C15, C18 e C27. As unidades injetora GIROTTI são remanufaturadas a partir do exclusivo Método GIROTTI. Por isso, aqui na GIROTTI a qualidade é 100% garantida.

CONFIRA AS OPÇÕES DISPONÍVEIS

Se preferir, entre em contato agora mesmo pelo WhatsApp.