Conheça as falhas no sistema common rail e descubra como identificar e evitar os problemas que mais afetam este importante sistema de injeção eletrônica diesel.

O sistema common rail é consideravelmente mais eficiente e menos complexo que outros sistemas de injeção eletrônica. No entanto, ainda assim, ele não é imune a falhas.

Certamente, a falta de manutenção adequada e o uso de combustível de má qualidade são fatais. Por isso, é muito importante ficar de olho em possíveis sinais de que tem algo errado.

Sem tempo para ler? Ouça este conteúdo resumido na Rádio Girotti:

O ideal, claro, é evitar os problemas. Para isso, você deve sobretudo abastecer somente em locais de confiança. Além disso, a manutenção preventiva deve ser feita de acordo com as especificações do fabricante.

No entanto, caso haja algum defeito, é muito importante identifica-lo com rapidez. Para isso, você deve ficar atento a alguns sintomas, por exemplo:

  • Falhas na aceleração;
  • Dificuldade na hora de dar a partida;
  • Cortes na rotação;
  • Motor morrendo ou perdendo potência em desacelerações;
  • Perdas de potência repentina.

Caso note algum desses sinais, é importante que você analise imediatamente o sistema de injeção. Afinal, quanto antes resolver o problema melhor.

PRINCIPAIS FALHAS NO SISTEMA COMMON RAIL

Com toda a certeza, a maior falha que afeta o sistema Common Rail está relacionada à pressão de injeção.

De fato, a pressão de injeção maior ou menor que a ideal é um defeito grave. Essa falha é causada principalmente por componentes desgastados. Esses desgastes são consequência, por exemplo, da contaminação do diesel. Além disso, a má qualidade das peças, instalação incorreta ou simplesmente o tempo de uso também ocasionam desgastes excessivos.

Por isso, é essencial ficar atento a possíveis variações na pressão de injeção. Afinal, se as alterações não forem identificada rapidamente, o sistema poderá ser comprometido, causando, até mesmo, danos mais graves ao motor. Lembre-se que estamos falando de um sistema que trabalha com altas pressões! Daí a necessidade de realizar verificações periódicas nos componentes da injeção.

FIQUE ATENTO

Entre as peças que compões o sistema Common Rail, a válvula reguladora de pressão merece uma atenção especial. Afinal, é ela quem controla as altas pressões no tubo rail.

Além disso, durante a manutenção, é preciso também ficar atento às condições do próprio tubo rail e também do sensor de pressão. Só para concluir, a unidade de controle eletrônica também deve ser verificada com atenção, afinal, é ela quem determina o correto funcionamento do sistema.

EVITE A CONTAMINAÇÃO DO DIESEL

A contaminação do combustível certamente é a maior vilã de qualquer sistema de injeção eletrônica. Isso não é diferente no Common Rail. O principal problema causado pela contaminação é o desgaste excessivo e prematuro das peças do sistema de injeção. Como consequência, o sistema pode apresentar um dos sinais citados anteriormente. Nesse sentido, o primeiro passo é identificar a fonte da contaminação.

A contaminação pode ocorrer devido ao uso de diesel de má qualidade. Além disso, pode ser causada também pela oxidação do tanque. Por fim, o uso de filtros de má qualidade ou incompatíveis com o sistema também é um grande causador de contaminação.

Enfim, seja qual for o motivo, a prevenção é o melhor remédio. Por isso, abasteça somente em locais de confiança. Da mesma forma, realize a manutenção preventiva. IMPORTANTE: sempre substitua os filtros nos prazos. Da mesma forma, fique atento aos sinais que a máquina dá.

USE SOMENTE COMPONENTES DE QUALIDADE

Por fim, vale destacar que a injeção eletrônica pode representar até 1/3 dos gastos com manutenção corretiva durante a vida útil da máquina. Por isso, ao substituir algum componente, é melhor não arriscar. Escolha somente quem oferece qualidade garantida. No caso das bombas de alta pressão, injetores e ECM’s você pode contar com a GIROTTI.

CLIQUE AQUI E VEJA OS PRODUTOS DISPONÍVEIS PARA O SISTEMA COMMON RAIL DA SUA MÁQUINA.

Deixe o seu comentário